sexta-feira, 14 de agosto de 2009

No Caminho da Promessa

No Caminho da Promessa

Gênesis 12. 1-3; Gênesis 25.8

Abraão nasceu e cresceu na cidade de Ur na terra dos Caldeus (antiga Babilônia), segundo a história o pai de Abraão de nome Terá era fazedor de ídolos, um príncipe caldeu.
Abraão era bisneto de Serugue (que faleceu com 230 anos), era neto de Naor (que faleceu com 148 anos), era filho de Terá (que faleceu com 205 anos e morreu morando em Harã na região de Padã-Arã); era irmão de Naor e Harã.
Harã, irmão de Abraão morreu na terra de seu nascimento, em Ur;
Abraão casou – se com Sara (que se chamava Sarai) e Naor seu irmão casou – se com sua sobrinha Milca, filha de seu irmão harã e irmã de Isca.

Lembremo-nos que na época – parentes casavam-se até por uma questão de manter a descendência familiar.

Quando Abraão nasceu, seu pai Terá deu lhe o nome de Abrão que significa “pai exaltado”, porém tempos depois, Deus mudou o nome dele para Abraão que significa “pai de multidão”.

Quando Terá juntamente com a sua família saiu da Babilônia antiga, desejava ele chegar à terra de Canaã, porém ele se estabeleceu em Padã-Arã na cidade de Harã, e ali ele ficou até sua morte.
Estando Terá ainda vivo, Deus chamou Abraão para sair da sua terra e da tua parentela e ir a terra em que Deus lhe mostraria – a terra que Deus levaria Abraão era a mesma que Terá desejou ir.
Eles saíram da Babilônia (símbolo do mundo) para irem a Canaã (símbolo do céu e da esperança dos salvos – é também a terra da promessa). Terá desejou ir à terra da promessa, mas não chegou lá e ficou no meio do caminho (na cidade de Harã); porém Abraão obedecendo à voz de Deus, e indo pela fé ao que Deus lhe ordenou acabou alcançando a terra da promessa. (Quando abraão saiu a ordem da voz de Deus em Genesis 12 - ele estava em Harã).

Abro espaço a uma conjectura sobre a família de Abraão:

Terá significa em duas línguas antigas “deus” com um “d” minúsculo, e ele era um príncipe caldeu, ou seja, um fazedor de ídolos, que na antiguidade era um serviço de grande valia.

Pessoas idólatras e que têm sobre seu nome um deus pequeno, jamais poderão chegar à terra da promessa, mas quem como Abraão, que obedeceu a voz e seguiu a ordem, mesmo sem saber aonde ir, alcançará a terra da promessa.

Não sabemos ao certo aonde iremos, mas Jesus nos assegurou que será um lugar de glória e de paz, aleluias. Seguimos pela fé o caminho rumo à promessa.

Quando Abraão partiu rumo à promessa, podemos dizer que ele foi a caminho da promessa.
Assim como ele, cada pessoa que se entregou a sua vida a Cristo está indo a caminho da promessa.

E com base na caminhada de Abraão quero deixar uma mensagem para que possamos meditar na verdade da palavra de Deus:

1) No caminho da promessa, dificuldades rumo à promessa.
Em Gênesis 12.7 – Deus disse que daria a terra a Abraão.
E logo que recebeu a promessa, Abraão edificou um altar pra Deus.
Atitude de quem crer nas promessas – edificar o altar faz parte de quem ta no caminho da promessa, isso implica em dizer que, edificar o altar é símbolo de adoração e de concerto. Recebeu aqui nesse versículo Abraão a promessa, após ter obedecido à voz que lhe aparecera e ter saído da sua terra e do meio da sua parentela com sua idolatria, ou seja, atitude de santificação.
Porém em Gênesis 12.10a – houve fome na terra.
A promessa de Deus era uma terra improdutiva?
Teve muitas dificuldades na terra que seria de sua parentela, mas ele permaneceu confiante.

2) Falta de abundância

Houve fome na terra – Gênesis 12.10Deus abençoa de forma abundante, porém no caminho da promessa, o seu servo Abraão encontrou falta de abundância.

Na nossa caminhada nos deparamos em uma sequidão dentro das promessas. Deus levanta um vaso ou lhe diz pelo Espírito: farei-lhe uma levita e tu farás a minha obra em vários lugares, ou te levantarei pra pregar a minha palavra com poder, unção e milagres.
E às vezes parece que a promessa à terra da promessa e da benção esta seca, sentimos improdutivos ou com poucas produções, mas isso faz parte do processo de quem ta no caminho da promessa.
Seja qual for à promessa de Deus em sua vida, lembre-se que na sua caminhada você passará pelos mesmos processos que passou Abraão.

3) Dificuldades de compreender as promessas Abraão estava debaixo de promessas de grandes bênçãos (como você está), ele estava debaixo da promessa de abundância e uma terra fértil, porém a terra estava seca.
Como compreender isso? Abraão teve dificuldades de compreender as promessas de Deus em sua vida.

Será que o diabo não tentou colocar na mente de Abraão que Deus o enganou, ou que não o amava?
Será que não intentou dizer que Abraão havia dormido de barriga cheia e ter sonhado que Deus falou com ele?

Quando Abraão olhou pra promessa que era a terra de Canaã, e a vendo seca e improdutiva, será que ele não pensou que Deus lhe prometera coisa pequena e sem valor?

O que podemos afirmar é que todos nós passamos por essa fase, afinal estamos no caminho rumo ao que Deus nos prometeu.
4) Parece que estamos longe das promessas
Abraão estava em Canaã (lugar da promessa), mas saiu de lá e foi por ordem de Deus ao Egito – Gênesis 12.10
Canaã seria dos descendentes de Abraão, porém ele agora se via longe da benção que Deus lhe prometera.
Quantas vezes nos deparamos com uma sensação de que as promessas de deus estão longe de nós? Quantas vezes parecem que andamos em caminho contrário ao que nos levaria ao que Deus nos prometeu?
Todos nós passamos pela fase de achar que estamos afastados e longe da promessa, mas faz parte de quem caminha rumo àquilo que lhe é de direito prometido pelo Deus Eterno.

Lições que Abraão aprendeu no Egito

No Egito Abraão entendeu que mentir não é bom resultado, embora Sara era meia – irmã de Abraão, pois era filha de Terá com outra esposa (Gênesis 12.20), mas aqui ele intentava enganar e isso é pecado, por isso ele aprendeu no Egito que ser enganador não vale a pena.

Quando ele manda Sara dizer que era sua irmã, tinha medo de por ser ela bela, eles pudessem matá-lo pra ficar com ela, mas percebeu que quando descobriram que era esposa dele, eles temeram a Deus.
A lição aqui é que o simples fato de uma pessoa não ser serva de um Deus vivo e está debaixo de promessas como estava Abraão, essa pessoa pode ser uma pessoa que tem pudor e caráter. (Gênesis 12.11-13)
Devemos observar que no Egito, o nosso Deus foi exaltado e tornou-se conhecido o seu poder e sua proteção aos seus (Gênesis 12.17-20).
Ter estado longe da promessa e ter tido dificuldade de entender a promessa fez com que Abraão tive-se muitas experiências e aprendido muitas lições na sua vida.

5) Sempre haverá alguém maior que nós no caminho rumo à promessa
Havia um homem por nome Melquisedeque, este é tipo um apontamento de Cristo no Antigo Testamento.
Melquisedeque no hebraico significa “Rei de Justiça”, esse era temente a Deus e servo do Altíssimo. Era rei de Salém (antigo nome de Jerusalém).
Este havia vindo da guerra dos reis e então Abraão teve um encontro com Melquisedeque.
Segundo ensina as Escrituras Sagradas em Hebreus 5:10 acerca de Jesus que é sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque.
Isso nos faz enfatizar como Melquisedeque é de sumo importância na Bíblia Sagrada.
Um sacerdote do Deus Vivo, e o primeiro Rei de Jerusalém (citado na Bíblia) sendo que na época chamava se aquela cidade Salém que significa paz.

Resumindo assim como Jesus é Rei da Justiça e da Paz, assim Abraão encontrou se com o Rei da justiça e da paz, uma figura direta de Cristo no Antigo Testamento.

Hebreus 7. 1-3 revela:

Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão quando este regressava da matança dos reis, e o abençoou, a quem também Abraão separou o dízimo de tudo (sendo primeiramente, por interpretação do seu nome, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas feito semelhante ao Filho de Deus), permanece sacerdote para sempre.”
Ele é sacerdote para sempre, pode se entender que Abraão era quem detinha promessa, mas em sua caminhada encontrou alguém maior do que ele.

E esse alguém é a figura de Cristo no Antigo Testamento.

Era um ministro de Deus e aonde seu sacerdócio ainda existe na Eterna Pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Melquisedeque era maior do que Abraão e tinha autoridade espiritual de abençoá-lo.

Abraão pela promessa seria dono daquela terra, a terra seria dos seus descendentes, mas mesmo assim ele reconheceu o rei de Salém como maior do que ele.
Podia pensar: Meus descendentes serão reis dessa terra, e podia se achar igual a Melquisedeque ou por deter tamanhas promessas, poderia se achar maior.
Mas Abraão foi humilde.Ele desejava ser pai de multidões conforme o desejo de Deus, e não mais um pai exaltado.
Em nossa caminhada rumo à promessa principal de Deus – salvação e vida eterna – sempre teremos no caminho encontros com quem no tocante às promessas é maior do que nós.

Embora a história de Melquisedeque ocorra em Gênesis 14 e a promessa que Deus afirma a Abraão de forma clara se dar em Gênesis 15.
Devamos notar que desde o Gênesis 12 quando Deus chamou Abraão, Deus tem prometido ser ele um homem que a terra seria bendita através dele.
Gênesis 12: “Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra”.

Essas famílias abençoadas através de Abraão. Aponta para e Evangelho de Cristo
O rei de Salém, (ao qual seu nome em hebraico é justiça) deu a Abraão pão e vinho.
Figuras diretas da comunhão dos santos e do memorial de Cristo, a saber, a santa ceia.
Podemos entender que mediante o reconhecimento de Abraão de que havia alguém maior que ele, na promessa.
Ele recebeu a comunhão e figuradamente participou do memorial de Cristo, mesmo vivendo a cerca de. 2000 anos a.C.
Pão e vinho – símbolos de alimento e alegria do Espírito.
Deus tem pão e vinho para derramar na vida de quem age como Abraão agiu.

Pão e vinho – símbolo usado por Jesus no Novo Testamento para representar seu corpo e seu sangue que fora derramada por todos nós.

Podemos entender uma verdade na história de Melqiuisedeque e Abraão:

Melquisedeque figura de Jesus como Rei da Paz (paz no hebraico é salém) e Seu Nome é Justiça (Melquisedeque em hebraico).

Melquisedeque o Sacerdote e Rei, o Ministro da Benção e Abraão o homem que recebeu promessas. O rei recebeu o dízimos daquele que tinha promessas, como reconhecimento de que o que abençoa é maior.
Abraão recebeu pão e vinho como figura do corpo de Cristo e de seu sangue.
Entendendo que quem tem promessas (como Abraão) tem de ser participante de Cristo e de sua aliança, no qual a ceia é o memorial e a ordenança deixada para Igreja.

Nota:

Antes mesmo de Moisés trazer a Lei de Deus, Abraão já dizimava dando ensinamento de que ser dizimista é um ato de quem tem promessas e segue ao verdadeiro Deus.

6) Transferindo a promessa – achando que se cumpriria a sua promessa na vida de outro.
Para Abraão Eliezer o seu mordomo seria o seu herdeiro. Gênesis 15.2,3
“Então disse Abrão: Ó Senhor Deus, que me darás, visto que morro sem filhos, e o herdeiro de minha casa é o damasceno Eliézer?

“Disse mais Abrão: A mim não me tens dado filhos; eis que um nascido na minha casa será o meu herdeiro”.

Para Abraão todas as bênçãos e promessa seriam transferidas para um de seus servos fiéis.
Quando estamos caminhando rumo à promessa celestial ou as promessas pessoais da parte de Deus, seremos tentados a pensar muitas vezes que Deus não irá cumprir em nós essas promessas ou que outros receberam as promessas que é nossa.
Apesar que nos dias atuais, muitos infelizmente fazem de tudo de roubar as bênçãos dos outros. Mas o que Deus promete a cada individuo jamais poderá ser arrancado.

Nota:
Abrão teve três dificuldades de entender a promessa

1ª – Pensou que para as promessas se cumprir e sua descendência existir dependeria de um Eliezer, mas o meio de se cumprir promessas não é da forma que Abraão imaginava e sim do jeito que Deus projetaria.
Do jeito que pensou Abraão - poderiam dizer – Abraão foi abençoado por Deus, mas precisou ter um Eliezer.
Do jeito que projetou Deus –poderiam dizer – Deus abençoou Abraão, e foi tanto que o herdeiro veio de milagre (porque Sara – esposa de Abraão - era estéril).
Os meios das nossas heranças com Deus – não precisamos de Eliezer, pois Deus tem seus milagres para nos conceder as bênçãos.

O que tem de pessoas dependendo de “Eliezer” – come Eliezer fica bem gordinho, trato na palma da mão, pois preciso de você para Deus realizar promessas. Deus diz :

Eu mesmo preparo os meios de cumprir todas as promessas que eu te fiz em sua vida.

Você não precisa de Eliezer para Deus cumprir promessas, o meio de cumprimento de promessas vem de Deus.
Eliezer - amigo e servo de Abraão – e Abraão aprendeu que os meios de cumprir promessas quem faz é Deus.

2ª – Depois que Abraão aprendeu os meios de cumprir promessas, ele não entendeu a forma desse meio. De que forma se cumprirá a promessa? Deus me disse que o meio seria de um filho com meu sangue, qual será a forma.
Sara sua esposa deu sua forma, e disse: Coabita com minha serva Hagar e tenha um filho com ela, já que Deus lhe disse que o meio não é por um servo (Eliezer), mas sim por um filho teu. Então coabita com ela e tenhas um filho.
Assim nasce Ismael – filho de Abraão com Hagar (lembrando que para deixar descendência naquela época se coabitava com concubinas e sevas).
Deus diz a Abraão que não era da forma que ele pensara, pois o filho não seria com outra se não a mulher legitima de Abraão.Ismael – tinha sangue de Abraão (que tem promessas) e sangue egípcio (figura do mundo).

Ele tinha sangue misturado.Hoje em dia tem muitos cristão com sangue misturado – sangue de Cristo e sangue do mundo
.Não podem receber heranças porque estão com sangue misturado.Ou temos o sangue de Jesus Cristo ou temos o sangue mundano.
Deus proveu o meio (através de um filho de Abraão), Deus proveu a forma (dando lhe um filho chamado Isaque).

3ª – Limitou a promessa de Deus em suas forças e capacidades
Q
uando Deus lhe disse que lhe daria um filho, sendo Abraão de noventa e nove anos e Sara de noventa anos.

Gênesis 17.15 - 21:

“Disse Deus a Abraão: Quanto a Sarai, tua, mulher, não lhe chamarás mais Sarai, porem Sara será o seu nome.

Abençoá-la-ei, e também dela te darei um filho; sim, abençoá-la-ei, e ela será mãe de nações; reis de povos sairão dela.

Ao que se prostrou Abraão com o rosto em terra, e riu-se, e disse no seu coração:
A um homem de cem anos há de nascer um filho? Dará à luz Sara, que tem noventa anos?

Depois disse Abraão a Deus: Oxalá que viva Ismael diante de ti!

E Deus lhe respondeu:

Na verdade, Sara, tua mulher, te dará à luz um filho, e lhe chamarás Isaque; com ele estabelecerei o meu pacto como pacto perpétuo para a sua descendência depois dele.

E quanto a Ismael, também te tenho ouvido; eis que o tenho abençoado, e fá-lo-ei frutificar, e multiplicá-lo-ei grandissimamente; doze príncipes gerará, e dele farei uma grande nação.

O meu pacto, porém, estabelecerei com Isaque, que Sara te dará à luz neste tempo determinado, no ano vindouro”.

Abraão não se achava capaz de ter filhos naquela idade, para ele já estava velho, ou seja, passou – se muito tempo para promessa cumprir.

Tem pessoas que acham que passou tanto tempo e anos, que Deus não mais cumprirá as suas promessas em sua vida.
Deus tem seu tempo determinado para abençoar aqueles que crêem e receberam dele alguma promessa.7) Desanimo Gênesis 15 – Deus animou Abraão lhe prometendo um filho.Abraão estava desanimado diante das difíceis circunstancias que se encontrara – até o capitulo 15 de Gênesis – Abraão pensava que seu herdeiro seria Eliezer, mas Deus o animou explicando-lhe que de suas entranhas sairia um filho herdeiro e ainda lhe fez grandes promessas acerca da terra prometida.
Quando vem o desanimo na nossa caminhada, Deus sempre nos responde dizendo as suas promessas em nossa vida.

8) Recebendo detalhes da promessa

Gênesis 15 – Deus detalha a Abraão o que vai realizar em suas promessas

Na nossa caminhada – Deus detalha o que tem para cada um de nós, aleluias.

9) Tentando realizar a promessa

Quando Abraão coabita com Hagar – querendo ter um filho – Abraão queria realizar a promessa de Deus em sua vida.
Tomemos nota que Deus havia dito a Abraão que lhe o herdeiro seria um filho de suas entranhas. Deus não havia explicado a Abraão que esse filho seria de Sara.
Na mente de Abraão – Seria um filho seu, e não propriamente dom Sara.
Quantas vezes no caminho da promessa, muitos querem cumprir as promessas de Deus em sua vida, se esforçam pra realizar a promessa, mas lembremos que é Deus quem cumpre as promessas que Ele mesmo fez.
Ismael era aos olhos e na mente do povo da época a promessa de Deus na vida de Abraão, porém Ismael era na verdade a promessa se cumprindo com vestígios egípcios (mundanos).

10) Tentando sacrificar a promessa

Embora Deus mandara a Abraão (para testá-lo) – sacrificar seu filho Isaque.
Vejamos que hoje em dia muitos tem sacrificado suas promessas e as tem abandonando.
Deus queria que Abraão tira-se Isaque do centro do seu coração, pois o centro de seu coração deveria ser o posto de Deus.

Quando Abraão vai sacrificar Isaque – ele tinha em mente que Deus havia dito a ele que de Isaque todas as promessas seriam cumpridas.

Será que Abraão não foi tentado a pensar que Deus o havia enganado?

Pois como sacrificar (matar) aquilo que me será a fonte geradora da promessa?

A grande verdade é que Abraão sabia que Isaque viveria, pois ele mesmo disse aos moços que eles voltariam (Gênesis 22.5 “disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o mancebo iremos até lá; depois de adorarmos, voltaremos a vós”

Nota:
Quando Abraão sacrifica Isaque – ele é impedido por Deus, pois Deus não precisava do sacrifício humano de Isaque, pois o Cordeiro Humano morreria por todos.

Conjectura: Imagino Deus olhando a cena: Abraão com todas as ferramentas para o sacrifício (hoje muitos estão sacrificando/servindo a Deus sem ferramentas), derrepente quando Abraão iria sacrificar a Isaque – ele é interrompido pelo bradar de Deus.
Conjecturo que no céu o Pai disse: Se este homem que recebeu a promessa mediante a fé está sacrificando seu único filho por amor a Mim; Eu por amor a ele, irei sacrificar Meu filho por amor a ele e a todos que como ele, acreditam mediante a fé nas minhas promessas

Porque Abraão se não fosse impedido – faria para Deus o que Deus fez para nós, sacrificando o seu Filho Primogênito e Único, Amado e Eleito, Jesus Cristo.

Por que Abraão acreditou que Isaque não iria morrer?Vejamos abaixo!

11) Abraão acreditava na Ressurreição dos mortos Embora sempre existisse a doutrina da Ressurreição, pois a Palavra de Deus subsiste eternamente e suas doutrinas são à base de seu caráter, do qual é imutável (que não muda), podemos entender que a ressurreição somente fora conhecida pela humanidade nos tempos posteriores a Moisés, embora a própria doutrina da ressurreição somente no Novo Testamento que ela é esboçada e formulada.
Tomamos nota de que a ressurreição é uma verdade – e verdade bíblica sempre foi verdade e jamais se torna verdade, ou seja, é verdade na essência.

Logo temos que apenas entender que uma coisa é a ressurreição existir e outra coisa é a humanidade ter conhecimento da existência dela. Por isso que no antigo Testamento a vários indícios de sua existência, mas apenas no Novo Testamento que ela é de fato formulada doutrinariamente. Embora no Antigo Testamento a ressurreição fizesse parte da doutrina dos fariseus e na fé judaica, Essa era a ressurreição dos últimos dias e não a ressurreição ainda nessa vida.

A ressurreição faz parte do Cristianismo e na verdade é a base do Cristianismo conforme Paulo ensina, pois sem ela toda a fé Cristã é vã.

Abraão creu na ressurreição, mesmo não tendo conhecimento pleno das Escrituras do Novo Testamento, pois ainda não havia sido revelada por naquela época ser remota aos tempos do término do Cânon das Escrituras.
Ele creu que Deus era mesmo poderoso pra fazer Isaque ressuscitar dentre os mortos.Pois se Isaque morre-se como sacrifico – não mais haveria promessa através dele, mas como sabe que Deus não menti, Abraão concluiu:
Deus tem poder pra fazer Isaque ressuscitar.

Hebreus 11.19

“julgando que Deus era poderoso para até dos mortos o ressuscitar; e daí também em figura o recobrou”.
No caminho que seguimos rumo ao Céu (promessa de Deus aos seus), precisamos crer na Ressurreição, pois estaremos seguindo segundo as ordenanças de Deus para os salvos.
Nota: Quando estava na terra – Jesus fez muitas coisas, desde salvar, curar, milagres e muito mais – cumprindo assim as profecias ao seu respeito, como Messias, Senhor, Salvador e Rei.
Mas uma profecia acerca de Cristo não se cumpriu aqui na terra, a saber, batizar com Espírito Santo.

Por quê?

Porque Ele ainda não havia sido glorificado, ou seja, morto em favor de muitos e ressuscitado dentre os mortos e ser assunto aos céus em um corpo transfigurado em glória.

O batismo com Espírito Santo precisaria vir assim que Jesus fosse ressuscitado.
Daí se ver a importância de se crer que o batismo com Espírito Santo é para os que crêem no Cristo ressurreto..

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário